Academia Brasileira de Futebol

Fiori Gigliotti

Fiori Gigliotti (Barra Bonita, 27 de setembro de 1928 — São Paulo, 8 de junho de 2006) foi um radialista e locutor esportivo brasileiro.

Em sua longa carreira, Fiori Gigliotti narrou partidas de dez Copas do Mundo de Futebol, mas sempre dizia que o maior jogo ao qual assistiu foi o disputado entre Santos e Benfica, na final da Copa Intercontinental de 1962. Em declaração recente, contou um entrevero que teve com o então
técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Telê Santana, na Copa do Mundo de 1982. Fiori teria cobrado o treinador pelo fato de ele estar fazendo muitas concessões aos jogadores, com muitas saídas com a família e pouco treino. Telê teria respondido que o locutor já estava velho.

Fiori celebrizou frases como: “Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo”“E o tempo passa…” (quando uma equipe precisava fazer um gol),
“Tenta passar, mas não passa!”“Aguenta coração!”“Crepúsculo de jogo”“Agora não adianta chorar” (logo após narrar um gol), “Torcida brasileira”“Uma Beleeeeza de Gol!” e “Um beijo no seu coração” .

Recebeu mais de duzentos títulos de cidadão honorário, principalmente pelo interior de São Paulo. Trabalhou como locutor desde 1947 nas rádios: Rádio Clube de Lins (SP), Rádio Cultura de Araçatuba (SP), Rádio Bandeirantes, Rádio Panamericana (atual Jovem Pan), Rádio Tupi e Rádio Record. Atualmente estava trabalhando como comentarista na Rádio Capital de São Paulo.

No fim de 2005 recebeu a “Medalha da Ordem Nacional do Mérito Futebolístico” da Federação Paulista de Futebol, ocasião em que disse: “Eu confesso que hoje vivo um momento de muita emoção. É daqueles momentos de rara felicidade que nos fazem ter alegria de viver“.

Deu entrada no Hospital Alvorada com problemas de úlcera e próstata e veio a falecer na madrugada de 8 de junho de 2006, vitima de falência múltipla de órgãos, sendo sepultado no dia seguinte no Cemitério do Morumbi.

Ele escolheu a véspera de uma Copa do Mundo para dizer adeus ao futebol, ao rádio e aos milhares de torcedores que se acostumaram a ouvir suas transmissões sempre carregadas de emoção. Fiori Gigliotti era torcedor doPalmeiras e fã ardoroso do santista Pelé1 .

Na transmissão da Rede Globo da partida inaugural da Copa do Mundo de 2006, Alemanha X Costa Rica, um dia após a sua morte, o “mestre Fiori” recebeu homenagem de Galvão Bueno, que iniciou a narração com a inesquecível frase do grande Fiori: “Abrem-se as cortinas e começa o espetáculo”.